• Facebook: ifscitajai
  • Twitter: ifscitajai

Banner

Home
Alunos se destacam em maratona de programação PDF Imprimir E-mail

Os alunos de Engenharia Elétrica do Câmpus Itajaí Eduardo Rodrigues, Leonardo Kalkmann, Tamilo Berna, Hugo Crispim e Michel Stuart tiveram o desafio de pensar, em apenas dois dias, em soluções que promovessem o turismo inteligente: mobilidade sustentável na Costa Verde Mar durante o Hackathon, maratona de programação, promovida pelo câmpus Camboriú do Instituto Federal Catarinense, realizado de 30 a 31 de agosto. Eduardo e Leonardo formaram uma equipe com alunos da Univali e do IFC e pensaram tanto em um hardware quanto em um software que permitiria orientar os usuários em ambientes fechados. O que rendeu ao grupo a segunda colocação na maratona de programação.

 

 

 

“Em um parque de diversões, por exemplo, é possível instalar microcontroladores de baixo custo e por meio de um aplicativo para smartphones dar informações para o usuário que permitam que ele possa se deslocar pelo parque sem se perder. Ele poderia ainda ter comandos de voz, o que auxiliaria também deficientes visuais. Em alguns aeroportos esse sistema já é utilizado, mas aqui na região, não. Nós fomos uma das únicas equipes a pensar em desenvolver um hardware também, que no nosso caso seriam esses microcontroladores, e isso foi um diferencial”, explica Eduardo.

 

 

A equipe pretende dar continuidade ao projeto e até já pensam em aplicá-lo no próprio Câmpus. “Esse sistema poderia ser utilizado na biblioteca do Câmpus para orientar os usuários onde encontrar determinados livros”, avalia Leonardo.


Tamilo, Hugo e Michel pensaram em uma plataforma chamada de hospedal em que seria possível fazer a reserva de hotéis da região e esses teriam bicicletas disponíveis para utilização dos usuários. Para incentivar que eles utilizassem como meio de transporte, a ideia seria fazer com que os quilômetros percorridos fossem revertidos em descontos em estabelecimentos comerciais da região. “Foi bastante desafiador participar porque exigiu um intenso trabalho em equipe. Eu apresentei a proposta para o dono da empresa onde trabalho e ele gostou da ideia. Isso deixou a gente ainda mais entusiasmados”, explica Tamilo.


O grupo pretende participar outras vezes do Hackathon e até já fez uma promessa para a próxima edição. “No ano que vem a disputa será pelo segundo lugar, porque o primeiro já será nosso”, afirma Hugo.



Por Beatrice Gonçalves | Jornalismo IFSC

 

Para visualizar PDF você precisa do Adobe Reader: Clique aqui para baixar.