• Facebook: ifscitajai
  • Twitter: ifscitajai

Banner

Home
Projeto ensina processo de fabricação de pranchas de surfe PDF Imprimir E-mail

Na última sexta e sábado (14 e 15), as oficinas do projeto de extensão “Nas ondas do bem” contaram com a participação especial do shaper Marco Kertichka. Ele é uma referência na fabricação de pranchas e veio ensinar um pouco dessa técnica para os participantes do projeto.“Nós trabalhamos na confecção de uma prancha fish que era muito utilizada na década de 1970. Ela é ideal para iniciantes porque é firme. Fizemos todo o shape que é o processo para modelar a prancha, passamos a massa prime e duas demãos de tinta. A fabricação de pranchas é um processo artesanal e a maior parte das pessoas não sabe o trabalho que dá para confeccioná-las. Há poucas pessoas que se dedicam à fabricação de pranchas e há hoje falta de mão de obra. Projetos como o “Nas ondas do bem” são muito importantes porque permitem aprofundar estudos sobre o surfe, como, por exemplo, sobre os materiais utilizados na fabricação das pranchas”, avalia o shaper Marco Kertichka.

 



Entre os participantes da oficina estavam membros da comunidade externa como Rafael de Barros que ficou sabendo da oficina através de um amigo. “Eu surfo há alguns anos, mas nunca tinha acompanhado de perto um shaper fabricando uma prancha, só tinha visto imagens pela internet. Quero passar a acompanhar mais as oficinas do projeto porque é um assunto que me interessa.”



Para os alunos que participam do projeto, as oficinas também têm contribuído inclusive para a aprendizagem em sala de aula. “ Eu sempre tive medo de água e resolvi participar do projeto porque para mim é um desafio. Nós temos trabalhado com aplicativos como o Shape 3D em que é possível fazer o desenho das pranchas e esse programa é muito parecido com o SolidWorks que usamos bastante no curso técnico em Mecânica”, explica a aluna do técnico integrado em Mecânica Ana Vitória de Albuquerque.



As oficinas do projeto são realizadas todas às sextas-feiras, das 14h às 17h no Câmpus Itajaí, e são abertas ao público.

 

Para visualizar PDF você precisa do Adobe Reader: Clique aqui para baixar.