• Facebook: ifscitajai
  • Twitter: ifscitajai

Banner

Home
IFSC coordena roteiros no Fazendo Gênero PDF Imprimir E-mail

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foi palco do congresso internacional Mundo de Mulheres e seminário Fazendo Gênero no começo do mês de agosto. O IFSC foi parceiro operacional do evento, que engajou cerca de oito mil pessoas em palestras, mesas-redondas, conferências e em uma manifestação no Centro de Florianópolis. Para além da concentração de pesquisadores de destaque em estudos de gênero e movimentos sociais, os participantes encontraram nos roteiros organizados pelo IFSC uma oportunidade de entrar em contato com localidades e grupos guiados por lideranças femininas.

 

A saída de campo que abriu o circuito de roteiros foi ao bairro Chico Mendes na área continental de Florianópolis, que abriga o projeto Revolução dos Baldinhos. O projeto de compostagem dos resíduos orgânicos foi criado em 2008 para sanar a presença de ratos e outros problemas sanitários na comunidade. Hoje, o centro de compostagem é gerenciado por mulheres e contribui para geração de renda de cerca de 100 famílias. Durante o evento, congressistas puderam acompanhara toda a logística do projeto, que inspirou iniciativas similares em todo o Brasil. A coordenação foi de Cristina Kuba, servidora técnica-administrativa da Pró-reitoria de Extensão e Relações Externas (PROEX).


O Câmpus Itajaí também fez parte da programação do evento. O projeto de extensão "Barco escola aprendendo com o mar: a extensão por meio da sala de aula flutuante do IFSC" promoveu uma saída com o barco pelo rio Itajaí-açu e uma conversa com a pescadora e egressa do IFSC Izabel Florcovski e com a oceanógrafa e segundo oficial de náutica da Marinha Mercante Marina Horn Batista. “As temáticas abordadas giraram em torno das atividades econômicas regionais, como a pesca artesanal e industrial e o porto, associadas ao ambiente marinho e aos ecossistemas costeiros. Durante o passeio, foram abordadas questões de gênero a partir da perspectiva de mulheres que atuam em trabalhos normalmente tidos como "masculinos"”, explica a professora do Câmpus Itajaí Melina Chiba Galvão.


Durante o passeio, Isabel Florcovski falou dos 16 anos em que se dedica à pesca de arrasto de camarões. “Para mim foi uma experiência única em que eu pude ensinar um pouco da pesca e contar parte da minha vida. Meu marido é pescador artesanal e eu saio com ele para pescar. Assim como eu, só há mais uma pescadora que eu conheço. A maior parte das mulheres fica em casa. Durante o passeio, nós falamos sobre isso, de como inclusive fazer o café e preparar a comida do marido para ir a pesca também é uma forma de trabalho da mulher.”


A fala de Isabel e da comandante da Marinha Mercante surpreendeu muitos participantes do Fazendo Gênero. “A maior parte das pessoas que participaram do passeio não são de Santa Catarina e para elas foi uma oportunidade importante para conhecer a realidade das mulheres que trabalham no mar. Muitos ficaram espantados com o baixo número de mulheres atuando nessas áreas e de como a desigualdade de gênero ainda é grande neste setor. Uma das participantes inclusive disse que pretende mudar o tema da sua pesquisa no doutorado para estudar as mulheres que trabalham no mar. Eu vejo que é muito importante que o IFSC participe de eventos como esse, mostrando o seu engajamento na luta pela igualdade de gênero”, avalia a professora do Câmpus Itajaí Laura Kremer.


Por Eduarda Hillebrandt e Beatrice Gonçalves/ Jornalismo IFSC

 

Para visualizar PDF você precisa do Adobe Reader: Clique aqui para baixar.